Clubes de futebol de Mariana decidem não participar do campeonato da cidade

A decisão foi tomada após os times constatarem que não há possibilidades de realizar os jogos sem receber, com antecedência, a tabela de jogos e a verba municipal, no valor de R$4,5 mil


No último campeonato, realizado em 2019, o Olimpic Esporte Clube foi o campeão da primeira divisão | Divulgação

Pela primeira vez, os times masculinos da primeira e segunda divisão de Mariana decidem não participar do campeonato de futebol da cidade. A decisão foi tomada após os 16 clubes constatarem que não há possibilidades de realizar os jogos sem receber, com antecedência, a tabela de jogos, com datas, horários e times que iriam jogar, e a verba municipal, no valor de R$4,5 mil, que deveria ser repassada pela Liga Esportiva de Mariana (Lema).




** continua depois da publicidade **




Segundo o presidente do Vila Esporte Clube e representante dos 16 times de Mariana, Evanicio Ramos, nas atuais condições, não há possibilidade de realizar os jogos. “Primeiro, precisamos da tabela dos jogos com antecedência para estruturarmos o time, pois muitos jogadores trabalham de turno. Segundo, o recurso é fundamental para arcarmos com gastos necessários, como transporte, medicamento, uniforme e outros. Infelizmente, muitos times da região não têm nenhuma fonte de renda. Sem a tabela e o dinheiro, coisas básicas, fica impossível participar do campeonato”, explicou.


De acordo com o secretário municipal de Esporte e Eventos, Bruno Freitas, a prefeitura repassou um pouco mais de R$190,5 mil à Liga, soma dos valores de duas parcelas, recurso que poderia ser utilizado para subsidiar os jogos dos times da primeira e segunda divisão. Além dessas parcelas, ele informou que outras estavam previstas. “Neste ano, repassaríamos 4 parcelas, que totalizariam mais de R$459 mil. Entretanto, devido a solicitação dos clubes de não ter os jogos, não será necessário esse outro recurso que estava programado. Portanto, em relação ao dinheiro que já foi repassado à Liga, ela terá que prestar contas de todos os investimentos e devolver aos cofres públicos que não foi utilizado”, afirmou Bruno.





** continua depois da publicidade **




“Primeiro, precisamos da tabela dos jogos com antecedência para estruturarmos o time, pois muitos jogadores trabalham de turno. Segundo, o recurso é fundamental para arcarmos com gastos necessários, como transporte, medicamento, uniforme e outros. Infelizmente, muitos times da região não têm nenhuma fonte de renda. Sem a tabela e o dinheiro, coisas básicas, fica impossível participar do campeonato”.



Em contato com o presidente da Liga, Wanderson Epifânio, ele nos comunicou que o repasse das duas parcelas que foram feitas pela prefeitura, não contemplava os jogos do campeonato dos times da primeira e segunda divisão. “A prefeitura faz o pagamento de acordo com o nosso plano de trabalho. Desse modo, a primeira parcela é para gastos administrativos da Liga. Já a segunda, é para investir nos times da categoria de base, que, inclusive, estão jogando. Só depois de prestarmos contas desse dinheiro, que poderíamos solicitar a terceira parcela, que contemplaria os clubes da primeira e segunda divisão”, explicou o presidente.


Wanderson também informou que a diretoria da Liga estava se mobilizando para resolver estas questões financeiras dos clubes. “Antes do feriado do dia 7 de setembro, elaboramos um termo aditivo de remanejamento dos valores e o protocolamos na prefeitura para pegar parte desse dinheiro e repassar aos times da primeira e segunda divisão que estavam aptos a receber, pois muitos estão com a certidão positiva com alguns débitos em órgão públicos, inclusive com a Liga. Mas, aí, soubemos que os clubes já estavam realizando um movimento e dizendo que não iriam disputar o campeonato, afirmando que não estavam preparados para jogar por causa do período de chuvas”, ressaltou.





** continua depois da publicidade **



Em relação a tabela de jogos, o presidente disse que a demora em divulgá-la aos clubes era porque a Liga estava realizando três campeonatos simultâneos.



REPASSE DIRETO PARA OS CLUBES

De acordo com Evanicio, alguns clubes de Mariana desejam que o recurso seja repassado diretamente à eles, como era antes da lei 13.019, conhecida como Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC), entrar em vigor nos municípios.


Segundo o secretário de Esportes e Eventos, isso dependerá da Liga. “Durante a reunião que realizamos ontem, - segunda-feira, 24 - alguns dirigentes dos clubes solicitaram que fosse dessa maneira, mas isso vai depender da Liga, porque ela é quem representa os times. O município fará da forma como eles decidirem, de modo que seja o melhor para todos”, afirmou Bruno.