Eleições 2020: entrevista com Bruno Mól e Rodrigo Miranda, candidatos a prefeito de Mariana

Atualizado: Out 14

Saúde, educação, mobilidade urbana e moradia, esses são alguns dos temas abordados com os candidatos da coligação "A mudança chegou"


Bruno Mól e Rodrigo Miranda concorrem às eleições de Mariana pela primeira vez, juntos | Arquivo pessoal


Bruno Mól é candidato a prefeito de Mariana. O marianense, de 41 anos é atual vereador, em Mariana, em seu terceiro mandato. Em 2008, foi o vereador mais votado da cidade. Em 2012, foi eleito presidente da Câmara, para o biênio 2013/2014. Enquanto presidente, foi reconhecido em Brasília, através do prêmio “Gestão Inovadora”. Além disso, economizou mais de R$ 2 milhões, valor devolvido ao Executivo, com a indicação da construção de uma UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) para a cidade.


Rodrigo Miranda tem 45 anos é, também, marianense e concorre às eleições como vice-prefeito. Desde 2009, tem exercido a medicina como missão em Mariana, o que faz dele um médico respeitado, além de conhecedor das necessidades e demandas da saúde pública, que é uma das principais bandeiras do seu plano de governo, ao lado de Bruno.



São inúmeras as obras importantes, que não foram concluídas em Mariana. Quais você pretende priorizar e de que forma?

Não iniciaremos obra alguma sem que todas as obras inacabadas sejam concluídas. Todas as obras iniciadas serão prioridades no nosso governo, uma vez que recursos públicos já foram previamente investidos. Sobretudo, destaco a UPA do São Pedro, a Policlínica do Rosário e a Policlínica do Cabanas, que, caso seja eleito pelos marianenses, estes verão essas estruturas em pleno funcionamento.



Mariana é uma cidade que depende economicamente da mineração. Quais os planos para diversificar a economia local?

Quero ressaltar que não seremos inimigos da mineração, afinal, são elas as maiores geradoras de emprego e renda em nossa cidade. Mas, existe uma necessidade urgente de alternativas econômicas para Mariana e queremos um diálogo estreito com as mineradoras, para que elas sejam participantes deste plano de desenvolvimento econômico alternativo. Não podemos ser dependentes da mineração, mas não podemos excluí-la deste momento, pois ela pode nos auxiliar a trazer investimentos, como acontece em outros estados, onde regiões que têm a mineração, crescem economicamente em outros setores também. Infelizmente, ainda não vivemos essa parceria. Prova disso, é o recurso da Fundação Renova, que deveria ser investido em Mariana e está sendo investido em outras cidades, em algumas que nem impactadas foram. Para que essa realidade mude, é necessário apresentar projetos. E nós temos projetos, como a criação da Agência do Desenvolvimento Econômico de Mariana, o desenvolvimento do Agronegócio, a implantação efetiva do Distrito Industrial, que contemplará prioritariamente o empresário local e agregará empresas e indústrias externas também, o investimento na cultura e turismo, o investimento no ecoturismo e outros. Precisamos usar nossas riquezas em favor do desenvolvimento econômico alternativo.


A casa própria é o sonho de muitos mariansenses. O que pretende fazer para tornar isso uma realidade para a população?

Moradia é um direito universal do ser humano, porém em Mariana, isto não é permitido. Primeiro, porque existe uma especulação imobiliária que inviabiliza a maior parte da população de ter sua casa. Segundo, porque Mariana é rodeada por latifundiários, os quais não investem na expansão urbana da cidade. E terceiro, porque hoje existe a especulação de áreas irregulares em Mariana. É necessário que o poder público dê oportunidade à todas as pessoas de adquirir sua casa própria. Para isso, o interesse público tem que prevalecer e a função social da terra tem que ser mais importante do que o interesse privado.

Mariana é rodeada por terras da Vale e da Mina da Passagem e através de um diálogo, os donos das terras terão a oportunidade de criar os seus loteamentos, urbanizados, documentados, com saneamento básico e energia. Caso isto não aconteça, a prefeitura irá intervir, desapropriando as terras, criando loteamentos diversos e projetos de moradia popular para a população de baixa renda. Existe um programa do Governo Federal, o “Minha Casa, Minha Vida”, que oferta à todos, a oportunidade de adquirir sua casa. Porém, em Mariana, esse programa não é praticado, devido a especulação imobiliária, que se dá através da falta de concorrência. Na nossa gestão, loteamentos serão construídos, para que a concorrência e os valores se tornem justos. Assim, a cidade crescerá de forma organizada e todos terão dignidade.



Bairros e distritos enfrentam sérios problemas em relação a falta de água. Alguns moradores, inclusive, relatam que ficam dias sem água. Quais os planos para sanar esse problema?

Um dos problemas mais graves que temos em Mariana é a falta de água e quando tem, não é de qualidade. Fato é, falta água na torneira dos marianenses, mas não falta água em Mariana. Vemos caminhões pipas abastecendo os bairros e até distritos que possuem rio próximo e várias nascentes. Isto só acontece porque tem água, afinal os caminhões não vão em outros municípios para abastecer. Assim, fica claro que o que falta é gestão, investimento, prioridade e não recurso hídrico. O marianense tem a ilusão de que não paga água, porém mais de 150 milhões foram gastos pelo SAAE, e ainda assim não temos reservatório suficiente, nem tratamento qualificado. São gastos no SAAE valores exorbitantes e o volume de investimento é mínimo. O marianense paga uma taxa mensal de água, sem tê-la.

Caso sejamos eleitos, o SAAE será gerido por uma pessoa técnica e qualificada, seus recursos serão investidos para colocar a água nas torneiras das casas, com qualidade e de forma consciente. Qualidade, porque água tratada é questão de saúde pública, e consciente, porque o desperdício da água precisa ser tarifado, afinal a crise hídrica é uma questão mundial e precisamos promover ações que levam a economia de água. A tarifação da água é algo polêmico e impopular, porém deve ser feita de forma responsável, através de estudos que disponibilizam a quantidade de água necessária para o consumo de cada família e local e assim tarifar apenas o desperdício, o excesso. Nosso projeto, prioriza o aumento da captação e oferta de água tratada, com o foco nas partes altas da cidade, criando novos sistemas de captação e aumentando a capacidade de armazenamento. O problema de água em Mariana só será resolvido quando o armazenamento for proporcional a demanda.



Em relação mobilidade urbana, existe a polêmica em torno dos valores das passagens e a qualidade dos ônibus. Qual o seu projeto no setor de mobilidade?

Esta é uma das questões extremamente relevantes em nosso plano de governo e tem sido uma das minhas pautas de discussão na Câmara por muitos anos. Transporte Público Coletivo é uma obrigação do poder público e este pode terceirizar o serviço. Aqui em Mariana, a mais de 40 anos, existe uma empresa terceirizada explorando este serviço, que faz o que quer, na hora que quer, sem nenhum contraponto do poder Executivo. Por não gerar lucro satisfatório para a empresa, vários distritos, não têm tido o direito ao transporte público. Cito o exemplo de comunidades como Vargem, Cuiabá, Goiabeiras e outros bairros e distritos da cidade. Transporte público coletivo é um direito fundamental do cidadão.

Em meu governo, o interesse público irá prevalecer. Por isso, iremos municipalizar o transporte público coletivo nos locais onde a empresa se nega a atender. O Município irá assumir o transporte, como acontece em várias cidades do Brasil, onde todos têm acesso a um transporte público melhor, com preço menor. Nossa campanha está sendo feita de forma independente, o que nos dá autonomia para agir de forma a garantir o direito de ir e vir de todo cidadão marianense, com tarifação justa. Não seremos reféns de qualquer empresa privada e o povo marianense também não!



Quais os planos para a educação e a valorização dos profissionais da área?

A Educação é um direito fundamental. Por meio da Educação, garantimos o desenvolvimento social, econômico e cultural. Temos um projeto estruturador para a Educação de Mariana, que abrange desde a melhoria das estruturas físicas, informatização e implantação de um sistema de ensino nas escolas, até a implantação de projetos como Escolas Agrícolas dos distritos de Bento Rodrigues e Paracatu, criação da Escola Politécnica, criação e ampliação de Creches em todos os bairros e distritos de Mariana. A Educação em nosso governo será prioridade das prioridades, pois sabemos que sem educação é impossível construir a Mariana que desejamos.



Como pretende incrementar o setor do turismo para atrair mais visitantes e empreendimentos?

Em Mariana existe uma secretaria de cultura, turismo e esporte, são três secretarias em uma, que não consegue desenvolver seu trabalho em nenhuma das áreas. Mariana é rica em cultura, possui um conjunto arquitetônico de valor histórico, com grande potencial turístico, e ainda é um celeiro de atletas. No nosso governo iremos desmembrar estas secretarias. A secretaria de Turismo e Cultura terá uma pessoa técnica para buscar investimentos externos, para fomentar o empreendedorismo da cultura local, com a valorização de toda expressão artística, dos artistas e dos grupos culturais marianenses. Iremos normatizar a agenda de eventos oficiais do município. Iremos profissionalizar o turismo e a cultura para promover nossa Primaz, a relevância que ela possui, no cenário nacional e até mundial. Existe uma necessidade urgente de promover a economia local, através das riquezas históricas que temos e somos.

Teremos uma secretaria que será de Esporte, Lazer e Inclusão Social, com o objetivo de resgatar o esporte marianense, através do programa Esportes na Escola, da recriação e revitalização dos eventos esportivos tradicionais do município, do incentivo às práticas de esporte de aventura e da criação e revitalização das escolinhas de base em diversos esportes, nos bairros da cidade em parceria com as associações e com as Universidades Federais, com a participação do curso de Educação Física, neste projeto. Sei que o esporte é uma ferramenta de transformação social, pois através dele podemos preservar e recuperar jovens em situação de vulnerabilidade social e também é um investimento na saúde física, mental e emocional de todas as pessoas. Precisamos tirar a nossa Arena Mariana, da ociosidade e fazer cumprir o seu propósito, que é promover o esporte local.



O último reajuste salarial para os servidores municipais foi em 2018, de 4%, um valor abaixo do que deveria. Você pretende compensar os anos em que isso não aconteceu? de que forma e quando?

O servidor público hoje, sofre com uma defasagem salarial de 24%. Em 7 anos, os servidores tiveram, apenas, 4% de reajuste. Nós iremos fazer, com muita responsabilidade e de forma escalonada, a recuperação salarial, mantendo o reajuste anual, porque é um direito do servidor garantido pela Constituição Federal. Em nosso governo o servidor público será valorizado, pois são eles que mantêm a máquina em pleno funcionamento. Direito não pode ser negado.



Na sua opinião (e nas conversas que tem feito durante a campanha) quais os problemas mais sérios a serem sanados na saúde, em Mariana? Como você pretende efetivá-los?

Existem vários problemas para serem enfrentados na saúde de Mariana, como a demora para se fazer um exame, ou ter acesso a um especialista, pior ainda fica quando o caso é cirúrgico. Além, do deslocamento dos pacientes às cidades vizinhas, para terem acesso a procedimentos simples. Também, existe a falta de estrutura física em prédios que sediam os atendimentos, os quais muitas vezes não possuem sequer acessibilidade.

Enfim, dentre tantos problemas que ainda poderiam ser mencionados e que os marianenses vivem em seu dia a dia, destaco a falta de um hospital público. Temos um hospital que foi construído na década de 60 e que mantém quase a mesma estrutura ainda hoje, porém a nossa população cresceu. Em nosso governo, Mariana terá um Hospital Público Regional Universitário, aproveitando o privilégio e a oportunidade de termos um curso de Medicina na Universidade Federal de Ouro Preto. E claro, este hospital terá a UTI, que não foi priorizada, quando indiquei que fosse construída, no hospital que temos hoje e repassei o valor para esta construção, economizado na Câmara durante minha administração. Com certeza, somos a melhor opção para saúde de Mariana, pois o Dr. Rodrigo Miranda, além de formação acadêmica, trabalha no município, conhece as deficiências e tem qualificação para propor e executar melhorias na saúde. Saúde é a nossa bandeira!



Em relação às invasões, muitas das vezes isso acontece porque em Mariana os lotes não são encontrados a preços acessíveis. Existe algum plano para mudar essa situação?

O problema da invasão em Mariana, está diretamente relacionado a falta de um projeto de expansão urbana e consequente inflação do mercado imobiliário. As pessoas nas invasões, vivem de forma precária, sem saneamento básico, sem energia, sem água, sem calçamento, muitas vezes correndo o risco de desabamento. Em meu governo, as ocupações irregulares á estabelecidas serão regularizadas e urbanizadas. E criaremos frentes de expansão municipal, seja loteamos ou projetos de habitação popular para pôr fim a especulação imobiliária em áreas irregulares.


Criado a partir do desejo de colocar em prática um fazer jornalístico verdadeiro, o Ângulo é um portal de notícias focado na região de Mariana, Ouro Preto e Itabirito. A história do veículo de comunicação se mescla com os anseios e missões de sua fundadora, que busca trazer novos ares para a mídia na cidade.

Aqui a missão é ser referência em notícia e se mostrar como um portal moderno, com visões amplas dos mais diversos lados das histórias e sujeitos.

  • Branca Ícone Instagram

© 2020 por Mariana Viana