top of page
  • Eliene

Jovem de 23 anos morre por meningite, em Mariana

A jovem sentiu os primeiros sintomas no dia 24 de dezembro de 2022 e faleceu no dia 26. Porém, somente na última terça, 03, que a família soube a causa da morte


Ruthellen Moretty Nunes tinha 23 anos e morava em Mariana | Redes Sociais / autorizado pela família

Nesta semana, foi confirmado um óbito em Mariana por meningite meningocócica. Ruthellen Moretty Nunes, de 23 anos, faleceu no dia 26 de dezembro de 2022, mas a causa da morte só foi confirmada pela Fundação Ezequiel Dias (FUNED) na última terça-feira, 03, aos familiares.

De acordo com a irmã da jovem, Luana Nunes, Ruthellen reclamou de algumas dores no pescoço na manhã de sábado, dia 24, mas somente no dia 26, quando ela também sentiu dores no corpo, que foi à policlínica de Mariana. “Ao se preparar para ir à academia sentiu dores no pescoço e no corpo e foi até a policlínica de Mariana. Lá ela tomou medicação para dores e retornou pra casa, almoçou normalmente e foi descansar, pois ainda estava sentindo um mal estar”, contou.




** continua depois da publicidade **


Mais tarde, a jovem piorou, segundo Luana. “Por volta das 18h, ela sentiu dores mais fortes no pescoço, no corpo e na garganta, falta de ar, vômito e diarreia. Voltamos à policlínica com ela já sem condições de ficar de pé. Depois de uma demora no atendimento, por volta das 19h, ela foi medicada e o exame mostrou que ela estava com as plaquetas baixas. Na sequência ela foi entubada, teve hemorragia interna e faleceu às 22:30”, disse.

Luana também contou que, no dia da morte da irmã, o médico não diagnosticou a causa, destacando que poderiam ser choque hipovolêmico, leptospirose ou outra doença. “Foi tudo muito rápido. O médico que assumiu o plantão, à noite, já pegou ela em estado grave. Vimos o seu esforço para trazê-la de volta”, destacou. Foi somente na terça-feira que a família recebeu o resultado do exame realizado pela Funed. Na ocasião, a família também foi orientada por um médico infectologista, da secretaria de saúde de Ouro Preto. “Ele esteve em nosso domicílio, nos orientou a respeito do caso, tirou nossas dúvidas, esclareceu sobre as causas, como deveríamos seguir e prescreveu um medicamento para todos aqueles que tiveram contato prolongado com ela nos últimos dias”, comentou, Luana.

De acordo com a irmã da jovem, Ruthellen não tinha tomado a vacina contra a meningite, que está disponível no posto de saúde de Mariana para a população de 16 a 30 anos não vacinada. “O médico nos informou que se ela estivesse vacinada, possivelmente não teria contraído a doença ou seu quadro não teria evoluído tão rápido, sem ter dado tempo de um diagnóstico e tratamento adequado”, disse Luana, que também deixa um recado para quem ainda não se vacinou contra a doença. “Vacinem-se! Essa é a maior forma de prevenção para uma doença tão cruel. A vacina salva vidas! Não esperem passar por uma dor tão grande como a que estamos vivendo, de ver uma menina jovem, alegre, cheia de vida, saúde e sonhos, partir”.



** continua depois da publicidade **



Luana também deixou um recado para as autoridades. “Intensifiquem as campanhas de vacina, seja para qual doença for. Quando descobrirem casos na nossa cidade, como foi com minha irmã, comuniquem a nós, cidadãos, para que tenhamos tempo de nos proteger. Nos 2 últimos meses tiveram 2 casos confirmados de meningite em Mariana, uma criança de 12 anos que sobreviveu e uma senhora de 50 anos, que também veio a óbito. O questionamento que temos é pq não houve um comunicado antes informando a população sobre o caso na cidade, de uma doença tão grave e de sua seriedade para convocar a população para a vacina? Sabemos que existe uma campanha acontecendo, mas gostaríamos que, lá atrás, tivesse tido esse movimento, iniciado hoje por nós familiares da Ruthellen, para alertar e convocar todos para se vacinarem, pois a dor da perda é muito grande”.



Outros casos


Na tarde ontem, quarta-feira, 04, a prefeitura de Mariana enviou uma nota informando que, nos dois últimos meses, dois casos de meningite meningocócica foram confirmados na cidade. Além de Ruthellen, uma mulher de 57 anos foi diagnosticada com a doença em novembro de 2022. Ao procurar o secretário de saúde, Jonathan Chaves da Silva, para saber do estado de saúde da mulher, fomos informados de que a pasta está preparando um material para divulgar.


Ainda na mesma nota, a prefeitura destacou que a Vigilância Epidemiológica de Mariana vem realizando ações contínuas de prevenção e controle, como a profilaxia medicamentosa de acordo com a conduta médica nos casos notificados e a intensificação vacinal.




** continua depois da publicidade **


A vacina está disponível na Central de Imunização, antiga casa do Peninha, localizada na Rua Santa Cruz, 368, Barro Preto, das 8h às 15h, a princípio, até o dia 7 de janeiro. Ela pode ser tomada por:

  • Trabalhadores da saúde acima de 16 anos que ainda não foram vacinados.

  • Trabalhadores da educação do ensino superior e técnico acima de 16 anos que não foram vacinados.

  • Estudantes universitários (escolas técnicas, faculdades, institutos ou universidade da rede pública ou privada) de qualquer idade.

  • População de 16 a 30 anos não vacinada.

Para tomá-la, é necessário apresentar documento com foto e o cartão de vacina. Além disso, os profissionais de saúde e educação devem comprovar vínculo empregatício e os estudantes universitários vínculo com a instituição de ensino.


Sobre a doença


A meningite meningocócica é transmitida por um grupo de bactérias chamadas meningococos e provoca inflamação na meninge, membrana que envolve o cérebro e a medula espinhal. A transmissão ocorre de uma pessoa para outra através de secreções respiratórias (salivas, espirro, tosse).



** continua depois da publicidade **



Os principais sintomas de meningites bacterianas costumam aparecer em pouco tempo, sendo:

  • Febre alta

  • Mal-estar

  • Vômitos

  • Dor forte de cabeça e no pescoço

  • Dificuldade para encostar o queixo no peito

  • Manchas vermelhas espalhadas pelo corpo (em alguns casos)



bottom of page