teste.jpg

Mariana é a cidade em Minas com mais casos de troca da segunda dose da vacina contra a Covid-19

Atualizado: Mai 16

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, 41 cidades mineiras aplicaram doses de laboratórios diferentes . Mariana lidera com 7 ocorrências


Fracos da vacina CoronaVac, um dos imunizantes aplicados em Mariana | Estadão Conteúdo

Nos primeiros quatro meses de campanha de vacinação contra a Covid-19, em Minas Gerais, 41 cidades registraram casos de intercâmbio vacinal, que correspondem a aplicação de duas doses de laboratórios diferentes da vacina, conforme dados da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). De acordo com o registro feito entre os dias 19 de janeiro e 19 de abril, 68 pessoas receberam a primeira dose de um fabricante e a segunda de outro, sendo que outros possíveis casos estão em investigação. Na lista divulgada pelo SES-MG, Mariana aparece como a cidade com o maior número de ocorrências de pessoas vacinadas com duas doses diferentes, totalizando 7 ocorrências.


Segundo o SES-MG os casos das pessoas que foram vacinadas com duas vacinas de fabricantes diferentes deverão ser notificados como erro de imunização no e-SUS Notifica. Além disso, essas pessoas devem ter acompanhamento médico. “Todos os casos devem ser acompanhados por um médico para avaliação individual com relação ao eventual desenvolvimento de eventos adversos. Neste momento, não se recomenda a administração de doses adicionais de vacinas Covid-19”, informou ao Portal Ângulo, por meio da sua assessoria de imprensa.


** continua depois da publicidade **


O Ministério da Saúde informou que esses e outros casos registrados em outros estados, somam, até o momento, 481 ocorrências no e-SUS Notifica e outras 16 mil no sistema SI-PNI. Todos eles estão sendo acompanhados.



"Todos os casos devem ser acompanhados por um médico para avaliação individual com relação ao eventual desenvolvimento de eventos adversos. Neste momento, não se recomenda a administração de doses adicionais de vacinas Covid-19”.


Para evitar que isso aconteça, o Ministério pede atenção durante a imunização. “A pasta recomenda aos estados e municípios atenção no processo de vacinação para evitar que erros ocorram. Além disso, é fundamental que a notificação da primeira dose da vacina seja registrada no cartão de vacinação com os dados relativos ao fabricante do imunizante, para garantir a correta aplicação da segunda dose”, disse.


Preocupação - A aplicação de vacinas de fabricantes diferentes é uma preocupação para especialistas. “Não é indicado que o paciente tome doses de fabricantes diferentes, uma vez que não existem estudos que comprovem a eficácia e segurança com a mistura de doses. Sendo assim, recomenda-se que as doses aplicadas sejam do mesmo fabricante”, afirmou a farmacêutica bioquímica, Samantha Tonidandel.



** continua depois da publicidade **



De acordo com a farmacêutica, a fabricação de cada vacina interfere na sua eficácia. “Cada fabricante usa de uma tecnologia e metodologia diferente para a produção de vacinas, bem como diferentes formas de teste. Algumas vacinas de Covid, por exemplo, usam o próprio vírus atenuado em sua composição, outras usam proteínas específicas do vírus, podendo ou não gerar respostas imunes diferentes e reações adversas”, explicou Samantha.


O que diz a prefeitura de Mariana - A equipe do Portal Ângulo entrou em contato com a assessoria de comunicação da prefeitura de Mariana solicitando informações como o motivo do intercâmbio vacinal na cidade e se as pessoas vacinadas com doses diferentes seriam acompanhadas por um médico. Entretanto, até o fechamento da matéria, não tivemos retorno. Por telefone, fomos informados de que seria divulgada uma nota por parte do secretário de saúde, Danilo Brito, mas essa também não foi publicada até o momento. Salientamos que essa é a segunda vez consecutiva que não temos retorno da pasta em solicitações que cabem ao secretário de saúde responder, conforme é dito pela assessoria de imprensa da prefeitura.

Atualização da matéria - Na manhã desta sexta-feira, 30, a assessoria de comunicação da prefeitura de Mariana retornou ao Portal Ângulo informando que após o ocorrido - uso de imunizantes de laboratórios diferentes, em relação a primeira e segunda dose no município - foi contatado a Referência Estadual em Imunização para pronta comunicação das notificações de eventos adversos.


Segundo a secretaria de saúde de Mariana, as medidas previstas no Plano Nacional de Operacionalização de Vacinação contra a Covid-19 foram adotadas e será aberto processo administrativo para apuração dos fatos, mesmo sendo previsto a intercambialidade durante o processo de vacinação.


A nota técnica divulgada pela prefeitura, informa que a troca de vacinas ocorreu nas Unidades de Saúde de Furquim, onde foram vacinadas seis pessoas com doses diferentes, e em Cachoeira do Brumado, sendo uma pessoa.