teste.jpg

Minas Consciente proíbe funcionamento de salões de beleza e academias em cinco macrorregiões

As medidas passam a valer a partir deste domingo, 6, para o Triângulo Sul, Sul, Oeste, Leste do Sul e Centro Sul


O funcionamento de academias é uma das proibições para as cinco macroregiões | Banco de Imagens

Nessa quinta-feira, 03, o plano Minas Consciente estabeleceu medidas ainda mais restritivas para cinco macrorregiões de Minas Gerais: Triângulo Sul, Sul, Oeste, Leste do Sul e Centro Sul. Todas elas já estavam na onda vermelha, mas foram enquadradas pelo governo do Estado como "cenários epidemiológico e assistencial desfavoráveis", o que indica “momento crítico da pandemia”.

Com isso, a partir deste domingo, 6, as cidades que pertencem a essas macrorregiões e são integrantes do Minas Consciente, estão proibidas de:

• Realizar eventos de atrativos culturais e naturais;

• Permitir o funcionamento de academias, clubes e salões de beleza;

• Permitir alimentação em bares e restaurantes após às 19h. Depois desse horário, é permitido apenas o delivery.



** continua depois da publicidade **



De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), os novos critérios da onda vermelha foram estabelecidos a partir de metodologia proposta pela Sala de Situação da secretaria. Assim, as regiões que estiverem nesta fase vão passar por análise mais criteriosa dos indicadores de incidência e espera por atendimento, para a partir daí, as tendências de piora na transmissão da doença e na ocupação de leitos serem identificadas.

A partir dessa semana, a Onda Vermelha será classificada em duas etapas, sendo a primeira a que já está em vigor com o funcionamento de todas as atividades liberadas, inclusive, as não essenciais. Já a segunda etapa vai inserir as regiões no cenário assistencial e epidemiológico desfavoráveis, baseado nos novos critérios apresentados pela SES-MG.



** continua depois da publicidade **



“Esta gradação dentro da Onda Vermelha é importante, pois estamos em um momento heterogêneo da pandemia no estado, com cenários diferentes, porém críticos. Dentro destas diferenças, ressaltamos a necessidade de medidas mais restritivas, ainda, para evitar o estresse do sistema de saúde”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti.

PROGRESSÃO DA ONDA - Segundo o Estado, para definir o avanço de uma macrorregião para um nível mais flexível do Minas Consciente ou a adoção de medidas mais restritivas, o Comitê Extraordinário Covid-19 se baseia em um sistema de pontuação da localidade, elaborado com base nos dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG).

São considerados indicadores como taxa de incidência, positividade, ocupação de leitos e grau de risco. A macrorregião atinge uma pontuação de 0 a 32, sendo:

  • Até 12 pontos: onda verde;

  • Entre 13 e 19 pontos: onda amarela;

  • 20 pontos ou mais: onda vermelha;

  • Avaliação excepcional: onda roxa (criada para restabelecer a capacidade assistencial).