teste.jpg

Prefeitura de Mariana cria auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família

O auxílio é no valor de R$750 e será pago em três parcelas de R$250


O pagamento do auxílio irá acompanhar o calendário de pagamento do Bolsa Família | Banco de Imagens

Na tentativa de proporcionar maior estabilidade econômica aos marianenses, os vereadores de Mariana aprovaram, por unanimidade, o Projeto de Lei Nº 66/2021, que determina a criação do auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família. Denominado como Apoio Municipal Emergencial de Mariana – Ame Mariana, o auxílio será no valor de R$750, dividido em 3 parcelas de R$250.


** continua depois da publicidade **



De acordo com o texto do Projeto, todos os marianenses inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) e que recebem o Bolsa Família, terão direito ao auxílio. Desse modo, ele será pago a mais de 4400 famílias marianenses, como a de Euzilene Cristina dos Santos. A chefe de família é mãe de três filhos e tem sentido no bolso os impactos da pandemia. “Antes da pandemia, era possível fazer uma faxina e tirar um dinheirinho extra no fim do mês. Hoje, por questões de segurança, não tem como. Os preços dos alimentos estão um absurdo. Fora isso, tem o aluguel, remédios que uso, material escolar e roupas das crianças. Esse auxílio chega em um momento muito necessário”, disse.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Social e Cidadania, Igor Gomes, não há uma data definida para início do pagamento do auxílio, que deverá acompanhar o calendário de pagamento do Bolsa Família. “Hoje, estamos na fase de fechamento da empresa que irá operacionalizar o pagamento. Nos próximos dias já poderemos anunciar a data”, destacou.

Ao todo, o município terá um impacto financeiro de mais de R$3 milhões. Esse valor será custeado pelo orçamento de benefícios eventuais e emergenciais da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania. Desse modo, os recursos gastos "não afetarão as metas fiscais previstas para o exercício, pois há reserva orçamentária", conforme diz o Projeto.

EMENDA - No mesmo dia em que o Projeto de Lei Nº66/2021 foi aprovado, o vereador Manoel Douglas Soares Oliveira, conhecido popularmente como Preto do Mercado, apresentou uma Emenda ao Projeto de Lei, que aumentaria o valor do benefício para R$ 1.800, sendo três parcelas de R$ 600. Entretanto, por sete votos a quatro, a Emenda foi rejeitada.



** continua depois da publicidade **


Segundo Manoel, o valor proposto foi baseado em um estudo feito por ele e favoreceria o comércio local. “Fiz uma consulta no DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos - e vi que o valor de uma cesta básica está um pouco acima dos R$600. Por isso achei justo esse valor, que, também, ajudaria o comerciante da cidade, pois as pessoas iriam comprar aqui. Diariamente o governo vem falando que está com muito dinheiro, e é verdade, pois acompanhamos os números. Ora, se tem dinheiro, por que não ajudar quem precisa neste momento?”, disse o vereador.