teste.jpg

Governo de Minas lança edital de concurso com mais de 2,4 mil vagas para policial penal

São 2.420 vagas, sendo 1.944 para homens e 476 para mulheres, com salário inicial de mais de R$4,5 mil


O policial penal é responsável por garantir a ordem e a segurança no interior das prisões | Banco de Imagens

Nesta quarta-feira, 18, o governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança (Sejusp), publicou o edital de concurso público para cargos de agente de segurança penitenciário/policial penal. Ao todo, são 2.420 vagas, sendo 1.944 para homens e 476 para mulheres, com um salário inicial de R$4.631,25 e uma jornada de trabalho de 40 horas semanais, em regime de dedicação exclusiva, podendo ser desempenhada em regime de escala de plantão.

Para participar é necessário a conclusão do ensino médio ou curso profissionalizante de ensino médio ou, ainda, formação de nível superior, em instituição reconhecida pelo Ministério da Educação. O edital Sejusp nº 02/2021 está disponível no site da Sejusp e também no site da Selecon, com informações detalhadas sobre o concurso.



** continua depois da publicidade **



O concurso é estadual, portanto, o candidato aprovado pode ser nomeado para qualquer uma das unidades prisionais do estado de Minas Gerais, sendo que a escolha do local de lotação se dará no momento da posse, seguindo a ordem de classificação do candidato.

No ato da inscrição o candidato poderá optar pelo local de realização da prova objetiva e da redação, que serão aplicadas em Barbacena, Belo Horizonte, Curvelo, Divinópolis, Ipatinga, Governador Valadares, Juiz de Fora, Lavras, Montes Claros, Patos de Minas, Poços de Caldas, Pouso Alegre, Teófilo Otoni, Uberaba, Uberlândia e Unaí. Não será permitido que o candidato altere o local de prova após efetivação da inscrição.





** continua depois da publicidade **



ATRIBUIÇÕES - O policial penal é o profissional responsável por garantir a ordem e a segurança no interior dos estabelecimentos prisionais, desempenhando a vigilância interna e externa, inclusive em muralhas e guaritas. Exerce atividades de escolta e custódia de presos; executa operações de escolta e custódia em movimentações externas, bem como de transferências interestaduais ou entre unidades no interior do estado.

Também faz parte das atribuições participar de operações para realizar buscas periódicas nas celas e no entorno das unidades prisionais, além de realizar revistas nos familiares e visitantes dos custodiados. Entre as funções, estão ainda a de prestar segurança a profissionais diversos que fazem atendimentos especializados aos presos nas unidades prisionais; conduzir presos à presença de autoridades e adotar as medidas necessárias ao cumprimento dos alvarás de soltura, obedecidas as normas próprias, entre outras funções imprescindíveis à segurança pública.



** publicidade **