Minas Gerais divulga calendário de vacinação contra a Covid-19 por idade

A previsão é que todos os adultos recebem pelo menos a primeira dose até outubro deste ano

A expectativa é que o Ministério da Saúde receba mais 38 milhões de doses neste mês | Banco de Imagens


O secretário de estado de saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, divulgou, nesta terça-feira, 15, o calendário de vacinação contra a Covid-19 por faixa etária. O cronograma ficou da seguinte forma:


Pessoas entre 55 e 59 anos - vacinação em junho

Pessoas entre 50 e 54 anos - vacinação em julho

Pessoas entre 35 e 49 anos - vacinação em agosto

Pessoas entre 25 e 34 anos - vacinação em setembro

Pessoas entre 18 e 24 anos - vacinação em outubro




** continua depois da publicidade **



Segundo o secretário de saúde, o cronograma só poderá ser cumprido se o governo federal seguir o ritmo da distribuição de doses que está previsto. "Obviamente, a velocidade de vacinação não é a mesma em cada município. Os grupos não têm o mesmo tamanho proporcional, então alguns municípios provavelmente começarão antes e outros depois", afirmou.

Fábio apontou ainda que, para junho, a expectativa é que o Ministério da Saúde receba mais 38 milhões de doses, "sendo que, Minas Gerais, normalmente, recebe 10% das vacinas". Além disso, para julho, estão previstas 35 milhões de doses. Em agosto, o número sobe para 68 milhões, enquanto para setembro a previsão é de 62,5 milhões. Já em outubro, o Brasil deve receber 65 milhões de doses.

De acordo com o secretário de saúde, mais de 8 milhões de doses já foram aplicadas no estado. Dessa forma, cerca de 25% da população já tomou a primeira dose e 12% a segunda.



** continua depois da publicidade **



Fábio também explicou que a vacinação por faixa etária é possível após deliberação do dia 11 de junho, que permite que cada município utilize 70% das doses para faixa etária de forma descendente e 30% para terminar os grupos prioritários, como trabalhadores do transporte, indústria e limpeza urbana. "A ideia dessa deliberação é que, diferentemente do que aconteceu com grupo de comorbidades, que exige relatórios médicos, comprovação, e aí houve uma certa desaceleração. A idade, por ser algo prático, deve mostrar apenas comprovante de endereço e identidade, ou seja, é mais rápido e fácil. Não precisa de pré-cadastramento", explicou.

ADOLESCENTES - O secretário também disse que ainda não há data para iniciar a vacinação de adolescentes no estado. Segundo ele, pessoas abaixo de 18 anos e acima de 12 anos não estão contempladas, até o momento, no Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde e, portanto, não há previsão de quando o grupo será contemplado. "No momento em que o governo federal colocar crianças e adolescentes (no PNI), vamos pegar essa informação, na ordem de prioridade, que a expectativa é que seja depois de 18 anos, porque sabemos que crianças são menos vulneráveis à doença. A letalidade é bem menor que a dos adultos", ponderou.

Atualmente, apenas uma vacina pode ser aplicada em adolescentes de 12 a 18 anos no país, a da Pfizer, que recebeu a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.