teste.jpg
  • Eliene

Moradores de Cachoeira do Brumado cobram providências para melhorar a qualidade da água do distrito

Há dias, a água que abastece ruas da comunidade está com uma coloração escura, imprópria para uso


Vídeo enviado ao portal



Há dias, os moradores de algumas ruas de Cachoeira do Brumado, distrito de Mariana, estão revoltados com a qualidade da água que abastece a comunidade. Segundo eles, a água que chega em suas casas está com uma coloração escura, o que a deixa imprópria para uso até mesmo para atividades básicas, como cozinhas e lavar.

Em um vídeo enviado ao portal Ângulo, um morador narra sua indignação. “Olha a condição da água aqui em Cachoeira, gente! Minha esposa levantou cedo para lavar roupa. Sem condição nenhuma”, diz. No vídeo ele também pede providências. “Acho que o pessoal responsável pela manutenção do serviço deveria dar uma olhada com mais carinho. Isso é um absurdo”, acrescenta.




** continua depois da publicidade **


Em contato com o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) Mariana, fomos informados que a "alta turbidez da água está sendo causada por agentes externos aos domínios da autarquia”. De acordo com o SAAE, o coordenador de distritos está monitorando o manancial para descobrir o que pode estar causando essa coloração na água e em breve terão uma resposta. “Até segunda-feira, dia 28, teremos uma definição e quais medidas iremos tomar. Pedimos desculpas aos consumidores pelo desconforto causado”, disseram.


Poço artesiano


Recentemente, o prefeito interino de Mariana, Juliano Duarte, havia divulgado em suas redes sociais que a prefeitura iniciaria a perfuração de um poço artesiano em Cachoeira do Brumado para abastecer parte do distrito.

Os trabalhos começaram no início deste mês em uma área denominada como Buraco do Juá. Entretanto, após perfurar mais de 200 metros, o SAAE concluiu que a água não seria suficiente para exploração e distribuição, como planejado, que era uma vazão média de 4 litros por segundo. “O poço perfurado no Juá teve uma vazão de apenas 0,6 litros por segundo, quantidade insignificante para o abastecimento do local proposto”, disse a autarquia ao portal.




** continua depois da publicidade **


Para perfurar poços artesianos, o geólogo, Lucas Pereira Leão, explica que é fundamental a realização de estudos prévios, que chamamos de métodos geofísicos. “Esse estudo vai determinar os locais mais apropriados para perfuração desses poços. Uma vez que sabemos que são empreendimentos que têm um custo elevado e a pesquisa prévia é de muito menor custo que a perfuração”, explicou.

De acordo com o SAAE, foi feito um estudo geofísico preambular para verificar qual seria o local ideal para perfurar o poço. “Esse tipo de estudo é realizado com o foco de medir a disponibilidade de água em um determinado local e entender como se dá a relação entre demanda e oferta de água”, informou.

Diante da expectativa frustrada, o SAAE afirmou que, em conjunto com a prefeitura, está desenvolvendo uma ação com geólogos e topógrafos para decidir o melhor local de convergência de água para perfuração do novo poço. Não foi informado data para início da perfuração de um outro poço artesiano.



** publicidade **