top of page

Primeiro templo religioso de Mariana é entregue à comunidade após restauração

A capela de Santo Antônio estava em obra desde março de 2022


Reprodução | Prefeitura de Mariana

Na última terça-feira, a Capela de Santo Antônio, em Mariana, foi entregue à comunidade, após mais de dois anos fechada para restauração. O investimento de R$1,3 milhão, com recursos do Fundo de Direitos Difusos, do Ministério da Justiça, contemplou intervenções no telhado, forro, piso e instalações elétricas. Também foi instalada uma proteção de incêndio e proteção de descarga atmosférica. O projeto foi elaborado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), por meio do Programa de Aceleração do Crescimento de Cidades Históricas (PAC – Cidades Históricas).


O Largo de Santo Antônio também foi restaurado. A elaboração do projeto e a execução da sua requalificação foram realizadas pela prefeitura de Mariana, com o investimento de R$800 mil. Foram realizadas reformas no meio-fio e calçada, ações de paisagismo com plantio de vegetação e instalação de bancos, limpeza da cruz monumental e alteamento de muro de contenção em pedra seca.


A Capela de Santo Antônio é o primeiro templo religioso construído em Mariana e, provavelmente, o mais antigo de Minas Gerais. Erguida no século XVIII, como agradecimento pela descoberta de ouro na região. Foi nessa estrutura que foi celebrada a primeira missa do município, pelo padre Gonçalves Lopes, no dia 16 de julho de 1696. 


Há relatos de que a  capela foi construída em três etapas. A obra teve início em 1701 por Salvador Fernandes Furtado, fundador de Mariana. Em 1762, teve os retábulos, púlpitos, arco cruzeiro e porta principal vendidos à Ordem Terceira de São Francisco, e em 1768, foi cedida à Irmandade do Rosário, depois de ser erguida a nova matriz, dedicada à Nossa Senhora da Conceição.


Comentarios


bottom of page