top of page
Design sem nome (1).jpg

Criança é agredida por professora dentro de escola de Ouro Branco

Vídeo registra o momento em a que a professora segura os braços do estudante


Reprodução | Redes Sociais


A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG) apura uma denúncia de agressão a um aluno de 08 anos com Transtorno Opositor Desafiador (TOD), na Escola Estadual de Educação Especial Professora Maria Corrêa Coutinho, em Ouro Branco. O caso aconteceu em maio deste ano e foi gravado.


Pelas imagens, é possível ver o momento em que uma professora segura com força os braços do estudante. Ele chora, grita e fala que está doendo. Outra mulher, que seria a diretora da instituição, aparece na sala de aula, presencia a cena, mas não interfere.


Ao G1, uma servidora que preferiu não se identificar, informou que situações como essas são recorrentes, destacando que, constantemente, a diretora da escola chama a polícia para os alunos quando eles estão em crise. "Quando algum dos alunos está em crise, a diretora o leva para uma das salas, pois lá não têm câmeras. Eu vi esse mesmo aluno sendo puxado pela mesma professora e, mais uma vez, a diretora não fez nada. Eu chorei com a cena, e ela disse que eu não tinha estrutura para trabalhar nesses ambientes. A gente que trabalha lá está adoecendo. Ou a gente toma remédio ou pede para sair", afirmou.


Funcionários da escola afirmaram ainda que já fizeram mais de dez denúncias contra a professora e a diretora, mas não tiveram retorno.


Em nota, a Secretaria de Estado de Educação (SEE-MG) garantiu que o caso está sendo apurado. "Em relação ao suporte dado ao estudante e, também, à comunidade escolar, destacamos as ações de acolhimento e mediação de conflitos dentro da escola, realizadas pelos profissionais que compõe o Núcleo de Acolhimento Educacional (NAE), contando, também com os profissionais do Centro de Referência em Educação Inclusiva (Crei) , visando assegurar um acompanhamento adequado ao estudante e dos profissionais da escola", informou.


A SEE-MG também destacou que a conduta de seus servidores está sendo apurada com rigor e celeridade. O caso também está sob a investigação dos órgãos de segurança competentes.

Comentarios


bottom of page