Mariana, Ouro Preto e Itabirito avançam para a onda amarela a partir deste sábado

Mesmo com o avanço, Mariana pretende adotar algumas medidas para evitar aglomerações, como não reabrir o Jardim


Mariana estava na onda vermelha desde o início de maio | Samuel Consentino

A partir deste sábado, 10, Mariana, Ouro Preto e Itabirito, cidades que compõem a macrorregião central de Minas Gerais, avançam para a onda amarela do plano Minas Consciente, após determinação do Comitê Extraordinário Covid-19. A decisão foi tomada com base nos índices de contágio do coronavírus. "Todo o estado está com indicadores melhores do que semana passada”, afirmou o secretário de estado de saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti.




** continua depois da publicidade **


De acordo com os dados, na última semana a transmissão do vírus diminuiu em 29% em Minas. Além disso, houve uma queda na ocupação de leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), chegando, hoje, a 68%. No último mês, o número de pacientes aguardando uma unidade de terapia intensiva caiu de 227 para 54. “O vírus está circulando menos, os gráficos mostram isso. Menos pessoas estão com sintomas, buscando atendimento especializado. Tivemos uma queda robusta na procura por leitos, principalmente nas regiões Centro, Centro-Sul, Oeste e Triângulo do Sul”, disse o Fábio.


“Na onda vermelha já tínhamos preocupações, como pessoas querendo fazer festas, imagina agora? Além do mais, hoje em dia, os jovens são os que mais ocupam leitos de UTIs e, aqui em Mariana, por exemplo, não vacinamos essa faixa etária. Seguindo a programação do Estado, eles serão imunizados nos meses de setembro e outubro”.


Com o avanço para a onda amarela, algumas atividades ficam permitidas, desde que cumpram algumas regras, como distanciamento e limitação máxima de pessoas. A realização de eventos, por exemplo, pode acontecer para até 100 pessoas, desde que sejam respeitadas as normas de distanciamento, que é de 1,5 metros, e a capacidade do local.



** continua depois da publicidade **



PREOCUPAÇÃO - O avanço para a onda amarela preocupa profissionais de saúde de alguns municípios, como Mariana. “Acreditamos que não deveria mudar nesse momento, pois a população começa a pensar que a situação está melhor e não dá tanta importância para as medidas de segurança. Na onda vermelha já tínhamos preocupações, como pessoas querendo fazer festas, imagina agora? Além do mais, hoje em dia, os jovens são os que mais ocupam leitos de UTIs e, aqui em Mariana, por exemplo, não vacinamos essa faixa etária. Seguindo a programação do Estado, eles serão imunizados nos meses de setembro e outubro”, destacou o secretário de saúde de Mariana, Danilo Brito.

Segundo Danilo, nos primeiros 15 dias, contando a partir de sábado, o Comitê Epidemiológico da cidade irá acompanhar o cenário e, se for preciso, serão tomadas algumas medidas. “Se a situação piorar nesse tempo, vamos sugerir ao chefe do executivo que adote algumas restrições que não estão inclusas na onda amarela do Plano. Já de imediato, afirmo que vamos sugerir ao prefeito que não reabra o Jardim, por enquanto”, afirmou.

O secretário também alertou para as medidas de segurança que devem continuar sendo seguidas. “Mesmo estando na onda amarela, é importante o uso de máscaras, distanciamento, evitar aglomerações e festas. Seguiremos intensificando as fiscalizações para garantir a segurança de todos”, concluiu Danilo.




** continua depois da publicidade **


BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO - De acordo com os boletins epidemiológicos divulgados pelas três cidades nesta quinta-feira, 08, Itabirito registrou 12422 casos e 144 óbitos, enquanto Mariana confirmou 8880 casos e 90 óbitos. Já em Ouro Preto, até ontem, quarta-feira, 5582 pessoas testaram positivo para o vírus e 115 vieram a óbito.