• Eliene

Prefeitura de Belo Horizonte confirma nove casos de varíola dos macacos

Segundo informação, todos os pacientes são do sexo masculino, com idades entre 23 e 38 anos


A varíola dos macacos é considerada uma zoonose viral | Reprodução


Nesta quinta-feira, 07, a prefeitura de Belo Horizonte informou que foram confirmados nove casos de Monkeypox, conhecida como varíola dos macacos, no município. Segundo informação, todos os pacientes são do sexo masculino, com idades entre 23 e 38 anos, e apresentam boas condições clínicas. Além disso, a maioria têm histórico de viagem a São Paulo.



** continua depois da publicidade **



A prefeitura também informou que todas as pessoas que tiveram contato com os infectados estão sendo monitorados.


A prefeitura de Governador Valadares também notificou o primeiro caso positivo. "O paciente, que permanece estável clinicamente, recebeu alta do Hospital Municipal (HM) e mantém isolamento domiciliar", informou.


Ontem, quarta-feira, 06, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) havia confirmado dois casos em Sete Lagoas.



** continua depois da publicidade **



Sintomas e transmissão

Os sintomas iniciais da varíola dos macacos costumam ser febre, dor de cabeça, dores musculares, dor nas costas, gânglios (linfonodos) inchados, calafrios e exaustão.


Dentro de 1 a 3 dias (às vezes mais), após o aparecimento da febre, o paciente desenvolve uma erupção cutânea, geralmente começando no rosto e se espalhando para outras partes do corpo. Elas vêm acompanhadas de coceira e aumento dos gânglios cervicais, inguinais e uma erupção formada por calombos, que mudam e evoluem para diferentes estágios: vesículas, pústulas, úlcera, lesão madura com casca e lesão sem casca com pele, completando o processo de cicatrização.

Vale ressaltar que uma pessoa é contagiosa até que todas as cascas caiam e que a pele esteja completamente cicatrizada.


** continua depois da publicidade **



A varíola dos macacos não se espalha facilmente entre as pessoas. A proximidade é fator necessário para o contágio. Sendo assim, a doença ocorre quando o indivíduo tem contato muito próximo e direto com um animal infectado ou com outros indivíduos infectados por meio das secreções das lesões de pele e mucosas ou gotículas do sistema respiratório.


A transmissão pode ocorrer também pelo contato com objetos contaminados com fluidos das lesões do paciente infectado. Isso inclui contato com a pele ou material que teve contato com a pele, por exemplo as toalhas ou lençóis usados por alguém doente.



** publicidade **