teste.jpg

Santa Casa da Misericórdia inativa Banco de Leite por tempo indeterminado

Atualizado: Mar 2

De acordo com a nota divulgada pelo hospital, a decisão está relacionada ao atendimento de pacientes com Covid-19


Atualmente, Minas Gerais possui bancos de leite em quatorze municípios | Banco de Imagens

Recentemente, o hospital Santa Casa da Misericórdia, de Ouro Preto, informou, por meio de uma nota, que o Banco de Leite Rotary da Amizade está inativo por tempo indeterminado. O motivo da suspensão dos serviços, segundo a direção da Santa Casa, está relacionado a Covid-19. "A decisão ocorreu após a necessidade de ampliação dos 10 novos leitos de UTI para atendimento da Covid-19, o que acarretou na readequação do hospital para atender a demanda de forma emergencial” diz a nota, que também informa sobre a necessidade de medidas restritivas. "Dentre outras medidas, foi necessário realocar a maternidade e promover medidas restritivas de acesso ao hospital, o que tornou inviável a presença de doadoras na instituição, tendo em vista que o Banco de Leite é próximo à UTI".


A decisão do hospital fez com que um grupo de pessoas, que são contra o fechamento do Banco de Leite, criasse uma petição online. “Estamos indignados, porém, acreditamos muito que poderemos reverter essa situação em prol da comunidade, em especial para auxiliar mãe, bebê e família, além de garantir um futuro mais promissor para os ouropretanos”, diz o texto de apresentação. Até o momento da publicação desta matéria, o documento contava com mais de 750 assinaturas.



"O funcionamento do Banco foi uma conquista. Pelo o que sei foi difícil conseguir fazer com ele funcionasse perfeitamente, e perder tudo isso é muito triste triste”.


Fundado em 2005, o Banco de Leite da cidade é o único ponto de coleta e doação de leite materno na região dos Inconfidentes. Somente no ano passado, mesmo com a pandemia, o Banco realizou quase 800 atendimentos, como consultas domiciliares, coleta e doação de leite, entre outros serviços essenciais para mães e crianças.


Tanto para que recebe ajuda, quando para quem ajuda, o Banco de Leite Rotary da Amizade é um espaço importante. “O Banco de Leite salva vidas. Ficam falando sobre a inviabilidade porque tiveram que aumentar o espaço para a atender pacientes com Covid, mas nem precisa do espaço para isso. Eu, por exemplo, fazia a coleta em casa e levava para o hospital” disse Gabriela Souza Moraes, doadora de leite materno desde novembro de 2020.


Para Gabriela, a ação da Santa Casa é um desrespeito às mães e um retrocesso para a cidade. “O funcionamento do Banco foi uma conquista. Pelo o que sei foi difícil conseguir fazer com ele funcionasse perfeitamente, e perder tudo isso é muito triste triste”, pontuou.


Ainda na nota divulgada, a Santa Casa reafirmou que seguirá “cumprindo as normativas, promovendo e apoiando o aleitamento materno e dando o devido suporte às mães” e informou que o processo está sendo discutido com os órgãos competentes para buscar a melhor solução para essa questão.


LEITE MATERNO - O leite materno é uma das principais fontes de nutrientes para as crianças até dois anos de idade. Contudo, quando bebês prematuros ficam internados, os hospitais precisam de doações do produto para alimentá-los. Essa é uma das principais estratégias para reduzir a mortalidade infantil.


Algumas mulheres quando estão amamentando produzem um volume de leite além da necessidade do bebê, o que possibilita que sejam doadoras de um Banco de Leite Humano. Toda mulher que amamenta é uma possível doadora. Basta ser saudável e não fazer uso de medicamentos que possam interferir na amamentação e doação.