teste.jpg
  • Eliene

Vereadores de Ouro Preto discutem situação da BR-356 após mais um acidente fatal

Diante das reivindicações da comunidade, os representantes da Casa levarão, através de uma comitiva, todos os dados e índices sobre a rodovia, bem como as exigências dos moradores para o Governo Federal


As discussões aconteceram durante a 9ª Reunião Ordinária | banco de Imagens

Durante a 9ª Reunião Ordinária de 2022 da Câmara de Ouro Preto, realizada na quinta-feira, 03, representantes do sub-distrito de Coelhos fizeram uso da Tribuna Livre para falar sobre a situação da BR-356. Segundo eles, as condições da via e a falta de sinalização estão provocando diversos acidentes. O mais recente aconteceu na última terça-feira, 01, e ocasionou a morte de um homem de 48 anos.




** continua depois da publicidade **



De acordo com a ex-vereadora Solange Pereira, representante da comunidade, a situação da rodovia já é debatida há muito tempo. Tendo em vista que a rodovia está localizada nas proximidades da comunidade de Coelhos, os moradores da região solicitaram alguma medida para que os veículos pudessem minimizar a velocidade ao transitar nos trechos próximos ao sub-distrito.

Solange também destacou que a comunidade está lutando e buscando providências. “Informaram que, infelizmente, em rodovias federais não pode haver confecção de quebra-molas, exceto, se for provada a necessidade. Então, fomos em busca. Fizemos um levantamento, através da Polícia Rodoviária, sobre quais acidentes já tinham ocorrido naquele trecho e quantas foram as vítimas fatais devido aos acidentes”, apontou.

A ex-vereadora afirmou ainda que, apesar de conseguirem a confecção de três quebra-molas, através do DNIT, na rodovia, eles tiveram que ser removidos e trocados por radares na via. No entanto, os radares foram retirados após o fim do contrato com a empresa responsável e a rodovia ficou sem redutores de velocidade, ocasionando no aumento de acidentes com vítimas fatais.




** continua depois da publicidade **


Segundo o Tenente Frederico, representante da Polícia Militar responsável pelo patrulhamento da rodovia, a decisão de retirada dos radares foi feita pelo Executivo Federal. “O Ministério Público da União entrou com uma ação requerendo um número mínimo de radares. Para ser instalado um radar na rodovia, um radar deve ser removido de outro lugar. Não é possível acrescentar mais radares por conta dessa decisão”, informou.

Diante das reivindicações da comunidade, o vereador Júlio Gori sugeriu que os representantes da Casa Legislativa levem, através de uma comitiva, todos os dados e índices sobre a rodovia, bem como as exigências dos moradores para o Governo Federal. “Vamos levar essas demandas, essas filmagens da rodovia fechada, e pedir uma solução”, disse.