teste.jpg

Funcionários da saúde de Mariana receberão abono de R$300

De acordo com o secretário de saúde, o auxílio será pago ainda neste mês


De acordo com o projeto, 858 funcionários terão direito ao auxílio | Banco de Imagens

A Câmara de Vereadores de Mariana aprovou o Projeto de Lei N°72/2021 que autoriza o pagamento do abono salarial aos funcionários da saúde que atuam no combate ao coronavírus. O benefício será pago em três parcelas de R$300, que, segundo o secretário de saúde, Danilo Brito, acontecerá a partir desse mês, sendo que há possibilidades de que ele seja prorrogado a mais três parcelas caso a cidade permaneça na onda vermelha ou roxa.


**continua depois da publicidade**


De acordo com o projeto, 858 funcionários, sendo eles nomeados, contratados ou efetivos, terão direito ao abono. Entretanto, eles devem estar atuando nas ações de combate ao coronavírus, seja no acolhimento de pacientes, transporte, acompanhamento dos ambientes de tratamento e diagnóstico, vacinação, dispensação de medicamentos e vestuário ou higienização das unidades de saúde, incluindo aqueles que não estão lotados na Secretaria de Saúde.


Para a enfermeira que atua na policlínica, Regiane Santos, o auxílio é uma maneira de reconhecer o esforço diário. "É muito gratificante receber esse benefício proporcionado pelo município. É o reconhecimento de todo empenho, dedicação e trabalho duro dos profissionais da saúde durante a pandemia", disse.


Já os funcionários de empresas terceirizadas não terão direito a receber o benefício, o que, para alguns, é injusto. “Assim como efetivos, nomeados e contratados, também temos contato com pacientes infectados. Será que a minha vida e a da minha família, já que nem todos foram vacinados, vale menos? O que eles fazem, eu também faço. O risco para eles é o mesmo para mim. Dessa vez fomos injustiçados”, disse um funcionário que preferiu não se identificar.


Funcionários da saúde que estão afastados de suas atividades também não terão direito a receber o auxílio. “Serão excluídos os benefícios de que trata essa lei, os profissionais que estiverem afastados da atividade por qualquer motivo, ainda que preservada a integridade de vencimentos”, diz o PL.



**continua depois da publicidade**



O Projeto de Lei é de autoria do executivo e é um incentivo aos trabalhadores da saúde, conforme consta no documento enviado à Câmara de Vereadores. “Trata-se de um abono temporário, não incorporável, oferecido como incentivo àqueles que têm se dedicado de maneira exemplar aos cuidados da saúde de nossos munícipes, em um esforço humanitário que, às vezes, se situa acima das responsabilidades do cargo”, diz.


Ao todo, o município terá um impacto financeiro mensal de mais de R$257 mil. Os três meses totalizarão um pouco mais de R$772 mil para o município. Agora, se o benefício for prorrogado por mais três meses, chegará a mais de R$1,5 milhão.