top of page
  • Eliene

Morro da Forca começa a deslizar em Ouro Preto

Em janeiro do ano passado, parte da encosta deslizou e destruiu um casarão histórico do município


Fitas e grades foram colocadas pela Defesa Civil de Ouro Preto | Tino Ansaloni


Na manhã deste sábado, 07, o Morro da Forca, em Ouro Preto, começou a deslizar. Em janeiro do ano passado, parte da encosta deslizou e destruiu um galpão e um casarão do século XIX, além de fios elétricos. O Morro da Forca, bem como outras regiões da cidade com alto risco de deslizamento na cidade, começaram a ser monitoradas pela Defesa Civil Municipal, juntamente com a Secretaria de Defesa Social e a Polícia Militar, devido às chuvas.



** continua depois da publicidade **


Segundo informações da Rádio Itatiaia, ontem, sexta-feira, 06, a Defesa Civil foi acionada para averiguar um possível deslizamento de massa no Morro da Forca, que por medidas de segurança teve um aumento da sua faixa de proteção no entorno com uso de fitas e grades.


No vídeo divulgado nas redes sociais por pessoas que passavam por ali, é possível a situação do Morro da Forca.




À Itatiaia, o secretário de Defesa Social do município, Juscelino Gonçalves, explicou que um drone sobrevoou a área e verificou que o deslocamento de massa de terra era de uma massa que já estava solta. Mesmo assim, destacou que os agentes seguem monitorando o local.


O secretário também pediu aos que passam por ali uma atenção maior. “Por segurança, como medida preventiva, a Defesa Civil aumentou a faixa de isolamento na via. A via está fechada. Motivo pelo qual nós solicitamos e pedimos a todos aqueles que passam, que usam essa via urbana, que tenham cuidado, que tenham paciência nesse momento, mesmo por conta do risco aumentado e potencializado pelo alto índice pluvial”, destacou.



** continua depois da publicidade **



Na oportunidade, Jucelino também informou que outro ponto da cidade, a Rua Padre Rolim, segue sendo monitorada. “Também apresentou-se aqui na encosta da Serra de Ouro Preto, próximo a chegada da praça Tiradentes, na rua Padre Rolim, uma espécie de rolamento de algumas pedras e também de massa de terra”, disse.


O comitê gestor de risco do município se reuniu ontem para discutir sobre esses pontos de atenção em Ouro Preto, que, segundo eles, continuarão sendo monitorados para evitar possíveis tragédias. “Continuamos atentos a todos esses movimentos de massa de terra, esses riscos geológicos e hidrológicos”, completou o secretário.



** publicidade **


bottom of page