teste.jpg

A importância da vacina contra a Covid-19

Por Rodrigo Lener de Freitas

Graduando em Farmácia na Universidade Federal de Ouro Preto


Mesmo comprovada a eficácia da Coronavac, o Brasil ainda não iniciou a vacinação na população | Banco de Imagens

A inativação de um vírus para a fabricação de vacinas é uma técnica antiga e já conhecida por sua eficácia. Vacinas contra gripe, caxumba, hepatite A, poliomielite injetável e raiva são alguns dos exemplos das chamadas "vacinas inativadas".


Para a realização dessa vacinação, os laboratórios farmacêuticos seguem uma série de protocolos e regras, seguidos de fases e testes que, para aprovação, a agência nacional de vigilância sanitária, a ANVISA, deve analisar e ditar ser de caráter seguro para o uso na população.


No Brasil, a Coronavac, do instituto Butantan, em São Paulo, com parceria da Farmacêutica Sinovac, apresentou 50,38% de eficácia, segundo o próprio instituto. Isso significa que ao tomar a vacina, o paciente tem 50,4% de chance de não desenvolver a Covid, 78% de chance de não precisar de atendimento médico algum e 100% de não precisar de hospitalização em uma UTI (Unidade de Tratamento Intensivo).


Essa vacina, também inativada, usa o próprio vírus para "ensinar" o corpo a produzir anticorpos contra a Covid-19. Para matar o vírus, é utilizado uma substância química, o que faz com que ele se torne inofensivo para o ser humano e atue no sistema imunológico, imunizando o indivíduo.


A vacinação é o meio mais concreto e seguro para frear essa pandemia, no Brasil e no mundo, prevenindo novos casos e desafogando os leitos hospitalares. Apesar de ser necessário, algumas pessoas questionam sobre o funcionamento, a eficácia e a qualidade do imunizante. Porém, deve-se levar em consideração os altos padrões de exigência e qualidade, os rígidos protocolos e testes para qualificação do termo "segura".


Mesmo tendo, hoje, alguns movimentos anti-vacina, será somente assim, por meio de campanhas de vacinação, que conseguiremos frear o avanço do coronavírus e chegarmos a tão sonhada imunização global.