teste.jpg

Atividades físicas também são essenciais durante a pandemia

Por Daniel Gomes Pereira

Graduado em Educação Física pela Universidade Federal de Ouro Preto


Segundo pesquisas, as academias ocupam a 15º posição na lista dos locais onde há mais contaminação

Com o início do Lockdown, em 2020, devido à pandemia do novo coronavírus, muitas profissões tiveram que se reinventar, e a Educação Física foi uma das mais afetadas pelo vírus. Com as academias fechadas muitos profissionais de Educação Física tiveram que manter os seus serviços através de plataformas online ou serviços a domicilio.


Um estudo feito pelo British Journal of Sports Medicine, Ding et al. (2020), que analisou as palavras mais pesquisadas no Google durante a pandemia, na Austrália, Estados Unidos e Reino Unido. Foram analisadas palavras associadas a “exercício, treinamento físico e exercícios em casa". Os resultados mostraram que as buscas associadas a exercício aumentaram muito nas duas semanas iniciais do surto e permaneceram mais altas que o normal. O mesmo ocorreu com termos como “treinamento intervalado de alta intensidade” e “exercícios para fazer em casa”.


Outras pessoas perderam o hábito de se exercitar, e, com isso, veio a ansiedade de ficar 24hs em casa, acompanhado de péssimos hábitos alimentares, regado de um consumo excessivo de álcool e muito fast food e industrializados, tudo isso para piorar ainda mais a saúde do brasileiro.


A pandemia do novo coronavírus, Covid-19, nos trouxe um alerta sobre a importância do exercício físico no nosso cotidiano, e vem mudando a rotina da população mundial. O Colégio Americano de Medicina do Esporte recomenda a prática regular de exercícios físicos, sendo do grupo de risco ou não, com o objetivo de melhorar a função imunológica, diminuir ansiedade e o estresse.


Notamos claramente, também, que os casos mais graves vinham sempre acompanhados de algumas comorbidades como obesidade, doenças cardiovasculares, diabetes e outras. Um estudo recente de Peng (2020), que foi feito na cidade Wuhan, na China, com 112 pacientes cardiopatas, mostrou que 88,24% das pessoas que não sobrevieram ao Covid-19 estavam com sobrepeso ou eram obesas, nos deixando ainda mais alertas para combater essa doença que a cada ano vem aumentando na população mundial e, principalmente, no nosso país.


Outro ponto preocupante dentro do cenário da pandemia é justamente o isolamento social, que aumentou consideravelmente os casos de depressão e ansiedade na população. Uma pesquisa feita pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro mostrou que os casos de depressão aumentaram 90% em um mês, devido às medidas de isolamento.


Com a população em alerta sobre os riscos comprovados que o vírus poderia trazer para pessoas que estariam acima do peso e sedentárias, a procura pelo atendimento de Personal cresceu consideravelmente, principalmente as aulas online. Um ponto a ser esclarecido é que vários estudos já mostram ser possível ter bons resultados em diversos contextos: em casa, academia, com equipamentos, peso corporal, elástico e etc. Por isso tenho dito que o material mais importante para os treinos é um bom acompanhamento profissional e a disciplina de se exercitar diariamente.


Diante de todo esse cenário, a prática regular de exercícios físicos se tornou um aliado importante no combate a todas essas doenças. Manter boa composição corporal, com um percentual de gordura e massa muscular ideal, vai além da estética, se tornou uma questão de saúde. Para a prática segura de qualquer exercício físico, procure um Profissional de Educação Física.